Ainda não é o fim - ebook de Bruno Grünig

Artigos Comentários

Como escrever » Como escrever, Escrever livros » Como começar a escrever um livro

Como começar a escrever um livro

 

Como começar a escrever um livroNo artigo Como escrever um livro, Já andei dando umas dicas aqui e ali. Vou tentar ir um pouco mais fundo agora. Para começar a escrever um livro, em primeiro lugar, é preciso ter uma história.

Dia destes alguém perguntou: “sobre o que eu escrevo?” Sei lá eu… Mesmo que fosse uma pessoa conhecida, seria difícil. Porque a mente de cada um de nós funciona de maneira diversa. A minha, por exemplo, nem a ciência explica.

Então, não posso “criar inspiração” para ninguém. Às vezes é difícil achar a minha própria.

Mas posso dar umas dicas. Principalmente se você vai começar mesmo. Se for do zero absoluto, minha sugestão é: não comece a escrever um livro. Calma, não fique chateado. Você vai começar a escrever. Mas não um livro. Como é que você quer escrever um livro, se nem escreveu uma redação, um artigo, nem sequer um bilhete?

Para treinar, comece escrevendo algo pequeno, como uma redação bem pequena, de um parágrafo. É isso mesmo. Um parágrafo. Assim, ó:

“Bento era um sujeito bastante criativo. Gostava muito de escrever, por exemplo. Escrevia poesia, letras de música, contos… o tempo todo. Certo dia, na escola, um colega de classe viu um manuscrito de Bento e pediu emprestado para ler. Três dias depois, Bento foi convidado a jantar na casa deste colega. Qual não foi sua surpresa, quando o pai de seu amigo, que era dono de uma editora, o convidou a publicar seu trabalho. Mas meses depois, logo após a publicação do primeiro livro de Bento, ele é acusado de plagiar um autor famoso. Processado logo em seu primeiro trabalho, Bento precisa lutar para provar sua inocência.”

Viu? Um parágrafo. Tem uma história aí? Não sei pra você, mas pra mim tem. Agora vou lhe contar um “segredo”. Isso aí é exatamente o título deste artigo. Como começar a escrever um livro. Se era esta a sua dúvida, pode riscá-la da sua lista de dúvidas. É assim mesmo que se começa a escrever um livro.

Talvez você pense que o autor daquele livro bacana que você leu, tenha começado ali, no primeiro capítulo. Engano seu. Ele começou foi desse jeito aí. Principalmente se for um autor americano, de ficção. Outros tipos de livro podem até começar diferente. Mas ficção é isso aí. Não creio ser preciso explicar, mas ficção é tudo aquilo que não é real. uma história inventada. Pode ser ação, romance, lá o que for. Se não for uma história real, é ficção.

É isso que você quer escrever? Se for, comece exatamente aí. Um parágrafo. Aí, você deve estar perguntando: “Sim… mas e depois”?

Simples. Expanda o seu parágrafo. Coloque mais detalhes na história. Tomando o exemplo acima, você poderia incluir o nome do amigo de Bento, o nome do pai do amigo,  mencionar em que grau escolar eles estão, e como foi que se tornaram amigos. Depois, você faz uma descrição mais detalhada destes três personagens, incluindo o que vai acontecer com eles na história. E assim por diante. Sua história vai crescendo. Ganhando vida, detalhes. Até que você tenha algo consistente, interessante e coerente.

A má notícia é que até aí, você ainda não começou seu livro. Quando você tiver de quatro a seis páginas, você tem uma sinopse, um resumo do seu livro. Aí, é hora de começar a escrever o livro. Então sim, você vai começar o primeiro capítulo.

Dentro em breve será lançado meu livro “Como escrever um livro”, que explica mais detalhadamente esta técnica para começar a escrever um livro. Além das demais etapas, é claro.

Filed under: Como escrever, Escrever livros · Tags: , ,

ATENÇÃO: Não use o campo de comentários para enviar seus textos para leitura. Há uma página específica para isto. Clique aqui: Submeter texto.

Textos inseridos no campo de comentário serão deletados. NÃO INSISTA!

Está curioso? Aqui estão alguns motivos:
  • A área de comentários é exatamente o que o nome diz. Serve para comentar o artigo acima dela. Se você derrama um texto ali simplesmente, está me dizendo: "Amigão, tou defecando e caminhando pro seu artigo. Dá um bico no que eu escrevi...".
  • Os textos enviados muitas vezes são muito longos. Outros trazem conteúdo não condizente com o blog.

206 comentários para "Como começar a escrever um livro"

  1. Mariana says:

    Olá !

    Eu ando à muito tempo para escrever um livro. Tenho pouco tempo mas quando o consigo, faltam-me as palavras … Tenho inúmeras ideias mas depois não as consigo expressar. Agora mesmo estava à procura de uma maneira de ultrapassar isso e encontrei esta página. Gostei muito!

    Grande parte do livro está pensado e já mais de metade escrito,contudo falta algo. Falta às vezes a descrição precisa ou o sentimento … Não sei!

    Peguei no seu conselho de escrever um primeiro parágrafo sobre toda a história e saiu isto :

    “Anna era uma estudante absolutamente brilhante na sua faculdade de Medicina e um membro essencial na sua família peculiar. Num dia, não muito diferente de tantos outros, Anna caiu para dentro de um rio e, quando acorda dessa queda, seca e numa margem, repara que está num sítio completamente diferente. Nesse lugar viria a descobrir crenças esquecidas, memórias apagadas, amigos deixados, erros envergonhados … e um fardo que sempre fora seu. É ela a escolhida pelos Grandes Criadores e, para os honrar, tem que aceitar seus erros, e os da família, para proteger o povo que um dia lhe chamará de sua rainha”

    Desculpe incomodá-lo com este texto todo … Se poder, dê-me uma opinião.

    Obrigada,
    Mariana

    1. brunogrunig says:

      Olá Mariana. Você pegou o jeito da coisa. Só falta o final da história, que você obrigatoriamente precisa saber (e não deve publicar, é claro). Talvez o seu problema seja o que acontce com muitos. Começar a escrever sem ter a história toda definida. Aí, chega num determinado momento, trava. Você precisa saber para onde a história vai e o que vai acontecer antes de começar a escrever o livro. Para tornar a escrita mais interessante, leia e leia, para aprender. Um abraço.

      1. Mariana says:

        Obrigada ! (:

  2. Eduardo says:

    Eu ja estou com meu livro pronto so falta a capa como eu faço uma capa?

    1. brunogrunig says:

      Olá Eduardo. Acontece que os comentários não aparecem antes de serem aprovados. Mas quanto à sua pergunta, tudo depende do que você deseja fazer. Se vai publicar o livro por sua conta, deve entrar em contato com um prestador de serviços que faça a impressão e este provavelmente poderá produzir uma capa. Se for publicar um Ebook, você mesmo pode produzir uma capa, usando o próprio Word ou outro programa. Há também sites que disponibilizam programas online para fazer isto. Um abraço.

  3. luan dias says:

    como dar nome a um pais????????

    1. brunogrunig says:

      Olá Luan. Invente e pronto. Um país imaginário pode ter qualquer nome. Um abraço.

  4. Rodolpho says:

    Olá, Bruno.

    Eu achei essa dica muito interessante. Eu já tinha lido a respeito desse método em sites americanos. Como a maioria dos livros que li até hoje (acho que 70%, pelo menos) é de autores americanos, eu tenho como maior referência justamente seu estilo. Você acredita que um livro escrito “à moda estadunidense” ajuda o autor, mesmo sendo iniciante, a alcançar êxito logo no seu primeiro trabalho?

    1. brunogrunig says:

      Olá Rodolpho. Os autores americanos fazem sucesso com livros traduzidos. Então… deduzo eu, que se possa usar a mesma metodologia. Mas o que determina o sucesso do livro não é isso. É a história, creio eu. Um abraço.

  5. andre says:

    Quando estou escrevendo meu livro não sei a hora de mudar o assunto.Queria dicas de como deixar um livro bem dramático?Obrigado. André Nogueira,Araçatuba-sp

    1. brunogrunig says:

      Olá André. Estas e outras dicas estão no meu Ebook Como escrever um livro. Um abraço.

  6. andre says:

    quero escrever um livro de romance conteporâneo,mas como organizar todo o texto?Desde já,obrigado.André Nogueira

    1. brunogrunig says:

      Olá André. As dicas estão aí no blog. Resumo e Ywriter. E treino. Um abraço.

  7. Ingrid Vasconcelos says:

    oi desde pequena gosto de ler , amo ficção ,sou bem em português não posso dizer ótima , mais a 1 més atras comecei a escrever um livro depois de um sonho que tive . sei que varias fãs de livros fazem continuações para suas series favoritas mais depois do meu sonho eu tive essa vontade de escrever comecei a escrever o 1 capitulo mostrei para meus professores eles falaram que eu tinha que continuar mais o que acontece se chegarem a publicar e falarem que é plagio ?

    1. brunogrunig says:

      Olá Ingrid. Você não explicou direito. Se for plágio é plágio. Se não for, podem dizer o que quiserem. E você não especificou se você mesma está fazendo essa bobagem de continuar histórias de outros autores. Se os direitos de uma história pertencem a um determinado autor, o que faz qualquer um pensar que pode “continuar a história”? Quem pode continuar qualquer história é o seu autor. Por isso, pense… se sua história foi criada por você mesma, vá em frente. Um abraço.

  8. Valéria says:

    Olá, eu escrevo a um bom tempo, não profissionalmente claro, mas já tenho um bom acervo de poesias e contos próprios. Originalmente os meu trabalhos abordam temas como mágoas, amores impossíveis, sentimentos incertos e etc. E já tem uns dois a nos que eu tento começar um livro, mas parece que eu tenho algum tipo de bloqueio, porque por mais que eu tenha a inspiração, já saiba sobre o que quero escrever, como vão ser os personagens, eu não consigo começar, quando eu vou passar para o papel eu travo, ao contrário do que acontece quando eu vou escrever uma poesia ou um conto. Você pode me ajudar?

    1. brunogrunig says:

      Olá Valéria. As dicas estão no blog. Tente, antes de escrever o livro mesmo, descrever o personagem principal. Com o máximo de detalhes possível. Depois faça o mesmo com outros personagens. Por fim, tente fazer um resumo do livro. Não se incomode sobre “como vai sair”, contanto que saia algo. Lembre-se que ninguém vai ver ainda. Enfim… treine. Se você nunca escrever nada não vai saber como. Um abraço.

  9. Amanda Kalinoski says:

    Olá,queria dar uma dica também: ” talvez, antes de começar a escrever um livro, para treinar, tente escrever uma fanfic, que é como uma continuação de uma série que já acabou, como Crepusculo, Harry Potter, ou Fallen.

    1. brunogrunig says:

      Olá Amanda. Para treinar serve, sem dúvida. Mas não use isso para substituir suas próprias idéias. Um abraço.

  10. Lauren da Rosa says:

    Ola gostaria de saber como começar, ja estou escrevendo um livro a um bom tempo, mas nao sei como botar aquela primeira palavra, sendo que meu livro é um romance, estou desesperada, pode me ajudar?

    1. brunogrunig says:

      Olá Lauren. Você precisa ler bastante e perder o medo. Se você está buscando a fórmula perfeita para escrever logo na primeira vez, está enganada. Escreva algo, tente escrever pelo menos meia página relatando sua história. Do jeito que lhe vier à mente. Depois tente de novo e de novo. Um abraço.

  11. AYRES ROCHA says:

    Olá, sou jornalista há 23 anos e apresento um telejornal durante este mesmo tempo todos os dias em minha cidade. ( Rio Branco-Acre)

    há alguns anos começei a pensar em escrever algo sobre minhas experiências não só como profissional mas principalmente sobre casos reais vividos nesse tempo. Coisas engraçadas que aconteceram durante entrevistas,vts que foram ao ar, com colegas de redação e tal… por aí.

    Como começar ??

    1. brunogrunig says:

      Olá Ayres. Creio que você deveria – em primeiro lugar – definir a linha que o livro vai seguir. Há diversas maneiras de fazer o que você quer. Se for em formato de crônicas, você pode escrever cada uma isoladamente e depois inserir no livro numa determinada sequencia. Por assunto, em ordem cronológica, etc. Se os assuntos são interligados, você pode fazer um livro de ficção (a história de um jornalista) baseado nos fatos ocorridos. De uma maneira ou de outra, seria bom você já ir fazendo as suas anotações, para ter uma idéia do que vai escrever. Um grande abraço.

  12. Juliana says:

    Olá!
    Meu nome é Juliana. Nunca havia pensado em escrever um livro por que sei que isso não deve ser nada fácil, porém depois de tantos episódios inusitados que aconteceram na minha vida estão me fazendo repensar. Já contei minhas histórias para vários colegas e amigos e eles sempre me falam que essas histórias dariam um bom livro. Hoje mais madura sinto vontade de passar tudo isso para o papel, mas ao mesmo tempo me sinto envergonhada por que acho pretensioso da minha parte querer escrever um livro sobre a minha própria vida e ainda achar que alguém se interessaria por ela, gostaria de saber sua opinião com relação a isso?
    Agradeço sua atenção.

    1. brunogrunig says:

      Olá Juliana. A expressão “isso daria um livro” é bem antiga. Qualquer vida pode dar um livro. O problema é saber se haveria interesse do público. Se há coisas extraordinárias em sua história de vida, coisas realmente diferentes, vá em frente. Mas lembre-se de uma coisa: se contar a história como real, sua vida vai ficar exposta. Se vender um milhão de livros… até compensa. Se não… é complicado. Talvez você possa criar uma história fictícia baseada em sua vida… algo assim. Um abraço.

  13. Bom dia meu amigo!

    Meu nome é Herman, encontrei o seu site ao pesquisar no Google sobre como escrever um livro! O fato deste meu grande interesse em ser um escritor surgiu ainda criança, com 9 anos de idade quando resolvi escrever em um pequeno caderno de 70 paginas e capa de papelão uma seqüência de A HISTORIA SEM FIM… Infelizmente com o passar dos anos este pequeno “livro” se perdeu no tempo. Após isto tenho sonhado ate isto mesmo, sonhado com uma historia ou outra e isto é algo que sempre me vem à memória, atualmente tenho um site onde publico algumas coisas que escrevo.

    Ficaria lisonjeado e muito agradecido se pudesse me indicar onde compro o seu livro “COMO ESCREVER UM LIVRO”, pois tenho varias duvidas, pois resolvi enfrentar este desafio e tentar escrever meu primeiro livro. Caso ainda não tenha publicado o livro, agradeceria se pudesse me enviar todos os links que você possui sobre duvidas de como iniciar e dar seqüência em um livro.

    No mais agradeço pela atenção.

    1. brunogrunig says:

      Olá Herman. Quando uma coisa te incomoda tanto durante tanto tempo… é melhor fazer. Seu desejo de escrever é forte, então… não protele mais. O meu livro está disponível aqui no blog mesmo. Clique neste link http://comoescrever.com.br/comprar-ebooks/ . Um grande abraço.

  14. Carol Murta says:

    Na verdade eu gostaria de escrever um livro para dedicar e dar de presente ao meu ídolo, não sei como vou escrever, preciso de ajuda… Minha ideia pro livro é deixar claro que eu o amo, mas não sei nem como começar. Acho essa ideia meio louca, porque queria diferenciar meu livro de todos os outros, não queria contar uma história, mas sim, explicar a história, entende? Espero que você possa me ajudar, fico grata!

    1. brunogrunig says:

      Olá Carol. Como já lhe respondi, aqui só vai o abraço.

  15. Petrus Agra says:

    Olá…
    Eu queria mesmo fazer um livro de Suspense mas toda vez que penso em uma idéia boa e vou escrevendo a idéia fica maluca.
    Se você me ajudasse ficaria grato.
    O meu livro fala de um grupo de jovens que vão com uma lancha para a água a noite e ai vem um nevoeiro muito forte e o barco fica a deriva. Minhas idéias são loucas!!! me ajude.
    Fico grato.

    1. brunogrunig says:

      Olá Petrus. Eu não achei esta idéia louca. O que você precisa é organizar estas idéias. Criar um personagem central. E contar a história toda num resumo. Como começou, o que aconteceu durante, e como terminou. Aí está a sua história. Depois que conseguir resumir isto, terá base para escrever o livro. Um abraço.

  16. Paloma Lima says:

    Obrigada pela dica!
    :)

  17. Maria Georgina Guinancio says:

    Foi muito bom encontrar você, Bruno. Gosto muito de escrever. Há aproximadamente três anos escrevi uma história que imagino ter ficado interessante. Tem princípio, meio, fim; personagens, local, enredo, drama, humor, um clímax e um final feliz. Esse trabalho mais se parece com um conto, pois tem apenas 23 páginas e só agora é que percebi que só interessaria a adolescentes. Será interessante sua publicação? Ou, quem sabe, tentar escrever outros do mesmo gênero e publicar tudo junto? Você, com a sua experiência, pode me ajudar? Grata. Atenciosamente. Georgina Guinancio.

    1. brunogrunig says:

      Olá Maria. Creio que talvez seja interessante publicar junto com outros contos, sim. Procure localizar obras parecidas para ver o que se anda fazendo nestes casos. Um abraço.

  18. Paloma Lima says:

    Olá Bruno, eu amo livros de romance e amo também livros de vampiros, estou com uma idéia de fazer um livro sobre vampiros com romance, mais não sei como começar.
    Eu começo como ?

    1. brunogrunig says:

      Olá Paloma. Sei lá, meu! Brincadeira. Há dicas aí sobre como começar a escrever. Mas vai mais uma: vá criando seus personagens. Faça a descrição deles. Depois imagine como vai ser a história e faça um resumo. Vá aperfeiçoando o resumo com mais detalhes. Um abraço.

  19. Wanessa says:

    Oi, descobri teu site por acaso, adorei como de forma simples você explica o que parece ser um bicho de sete cabeças. Não tenho a pretensão de escrever um livro, ainda, mas quero começar por contos, leio demais Machado de Assis e esse danado me encanta pela forma como escreve e tá me botando um não sei o que aqui dentro que está querendo ir para o papel ou para o monitor, ainda não sei; Um amigo tem me incentivado a escrever, nunca havia pensado nisso antes, daí juntando o incentivo dele, achando o teu site, já ando me perguntando: “Por que não?”…

    Bem, foi um comentário mesmo pra agradecer pela tua boa vontade em fazer esse site e parabenizar pelo jeito como escreve, realmente dá vontade de ler mais.

    1. brunogrunig says:

      Olá Wanessa. Você já está com um ponto a favor, lendo Machado de Assis. Uma poderosa referência. Concordo com o… “por que não?”. Nada impede você… então, mãos à obra. Um abraço.

  20. ingrid says:

    Minha vida é eu era uma criança pessoa gentil mas eu fiquei chata mal educada mas eu levei a vida assimtrankila mas eu nem liguei para nada porque ninquen liguava pra mim eu sai munto sedo da escola e ja comesei a trabalhar mas eu era munto dura com as pessoas e ninguen liguol pra mim i eu não tava nem ahi liguando pra alguem eu chorava sem motivo é tão rum Igrid Marcieli Pereira De Queroiz 10/07/2012

    1. brunogrunig says:

      Olá Ingrid. Creio que isso dá um livro… Um abraço.

  21. Michel Alves says:

    Bruno, gostaria de te fazer algumas perguntas pois estou com uma ideia mas não se encaixa nos exemplos que você deu, se puder me mandar um e-mail, ficaria agradecido, abraços, ótimo post!!!

    1. brunogrunig says:

      Olá Michel. Pode enviar-me as suas idéias pelo email brunogrunig@gmail.com . Abraço.

  22. Érica says:

    Olá, sou Érica, tem um bom tempo que quero escrever, mas tenho um pouco de receio quanto a questão do plagio (fora todas regras ortográficas e gramaticais que me assustam muito), tem muitos autores que amo e é impossível não absorver um pouco do estilo literário deles. Acredito que, qualquer coisa que eu escreva, terá muito do que eu já li, e não sei como lidar com isso.

    1. brunogrunig says:

      Olá Érica. Ou eu muito me engano ou você está se escondendo. Você alega ter medo de plágio, regras gramaticais e medo de copiar algo que já leu. Arrumou um montão de desculpas para não escrever nada. é melhor correr o risco de escrever algo parecido ao que já leu, ser plagiado e escrever errado, do que ficar sentado sem fazer nada. Um grande abraço.

  23. Carol says:

    Olá, meu nome é Ana Carolina. Bem, desde o ano passado eu tenho vontade de escrever um livro. Ok, deixe eu explicar melhor. Eu tenho 13 anos, e sou apaixonada por livros, em especial, de mitologia grega. Mas tenho na cabeça, uma história muito legal. É um romance e fala sobre a vida de uma garota que descobre que a vida dela é uma mentira, e que ela perdera a memória quando era criança, então tudo o que ela acreditava ser a “vida” dela era falso. A primeira vez que eu tentei escrever ele, eu fui até o sétimo capítulo, ou seja, escrevi um pouco mais que a metade do livro. Porém, meu computador deu um problema, e eu perdi o livro. Chorei muito, porque naquela época eu estava me empenhando muito, dando o meu melhor pra escrever aquele livro. Depois, tentei algumas vezes, mas eu desanimava. Agora vou tentar escrever novamente, e com essas dicas, acho que, talvez, fique mais fácil. Um abraço.

    1. brunogrunig says:

      Olá Carol. Já que você precisa começar do zero, não vá escrevendo capítulos. Escreva um resumo da história, do princípio ao fim, antes de começar o livro propriamente dito. Um grande abraço.

  24. elton says:

    tenho muitas coisas em minha mente,mas n sei por onde começar fico perdido.N sei como começar a um conto ou livro.Eu escrevia quando estava na escola,mas com o tempo perdi a vontande,mas sei q ta td na minha cabeça basta por no papel,pode me ajudar??
    obg elton

    1. brunogrunig says:

      Olá Elton. Creio que você precisa ler mais. E ir escrevendo coisas menores. Contos, por exemplo. Um bom exercício é resumir livros. Quem pode ajudar você… é você mesmo. Um grande abraço.

  25. Crisna says:

    Antes eu gostava muito de ler e escrever,escrevia sobre tudo drama,romance,adorava escrever poemas e peças teatrais para a escola,amava redação e sempre tirava um 10,além de me orgulhar muito de mim mesma esse 10 era um motivo de incetivo,ja que nào tinha incetivo dos meus pais.
    Mas com o tempo perdi a graça tanto pela leitura como pra escrever,sei lá falta inspiraçào ou paciência uma coisa assim talvez …
    Mas eu quero e vou voltar a escrever!
    A minha historia de vida é bem interessante acho que vou começar por ai!
    Obrigada por iluminar essa luzinha na minha cabeça!

    Crisna.

    1. brunogrunig says:

      Olá Crisna. Às vezes é assim mesmo, a gente fica meio perdido… não é só você. Mas acaba se achando. Ainda bem que você “acordou”. Não deixe pra depois, não. A hora é agora. Um grande abraço.

  26. Rafael says:

    Amo demais escrever mas tenho medo de não dá certo, qual as outra opções para fazer com o livro pronto se com a editora não funcionou ??
    Tenho 17 anos, sou louco por leitura, confesso que não tiro nota alta em português e literatura .. tem importância ?

    eu ainda estou muito indeciso sobre meu futuro, mas confesso que ser escritor me da muita alegria, quando estou escrevendo é uma sensação muito boa, o que é que você acha ? me dê uma luz.

    1. brunogrunig says:

      Olá Rafael. Você tem muito tempo pela frente ainda. Estude e leia o mais que puder. Mesmo que lá adiante você não seja um escritor, sempre é algo a mais que você terá como ferramenta para sobreviver. Nem pense em editora agora, pense em aprender e treinar. E há outras opções sem ser uma editora. Publicar ebooks, por exemplo. Um grande abraço.

  27. Karla says:

    e se eu for escrever uma historia real apenas mudando os nomes dos personagem….cmo devo começar?

    1. brunogrunig says:

      Olá Karla. Como qualquer outro livro. Mas tome cuidado com isso. Se a história chega perto de revelar algo que desagrade alguém… talvez você tenha problemas. Um abraço.

  28. geomario de oliveira ferreira says:

    ola amigo tenho sonho de escrever, ja tenho o assunto.Nao abro mão desse sonho .Porque vejo a nescessidade em que uma classe de pessoas precisa ser despertada para esse assunto .Gosto muito de ler. Por isso eu mesmo fui despertado. Nao sou muito de ler ficçao.Lir algumas vezes.Gosto mas de realidade ,busco ler mas auto ajuda .Gosto do verdadeiro. Apreçio muito os ensino do Grande Mestre Jesus Cristo busco mim exemplar Nele .De-me sugestoes de por onde começar.Para ser escritor é preciso te alguma formaçao academica ou qualquer pessoa pode escrever?Mim considero um pensador busco sempre sabedoria,gosto de filosofia,tenho ate alguns pensamentos de minha autoria.Responda algumas palavras sua.Grato.

    1. brunogrunig says:

      Olá Geomario. Para escrever e publicar um livro não é necessária nenhuma formação academica, ou coisa que o valha. Você, assim como eu e o resto do mundo, pode escrever e publicar o que quiser. E você já tem a vantagem de ter como mestre o melhor de todos: Jesus Cristo. Um grande abraço.

  29. v says:

    Bom… Pode parecer cliche mas o mais importante pra começar e ler. As vezes voce ests lendo uma livro que pareça extremamente diferente daquilo que voce gostaria de escrever mas uma unica frase interessante pode atiçar sua imaginaçao e dar origem a una trama inteira.

    1. brunogrunig says:

      Tem razão… é preciso ler muito. Um abraço.

  30. Rodrigo says:

    Queria uma ideia para fazer a capa do livro que estou escrevendo ! O Sr. tem alguma dica ?

    E queria saber se o Sr. sabe algum site para eu publicar o livro que estou escrevendo de graça ?

  31. Rodrigo says:

    Olá já comecei a escrever um livro sobre romance, mais não estou escrevendo sozinho, estou escrevendo com uma amiga ! Algum problema ?

  32. Alexandre says:

    Estive olhando seu blog e achei legal de sua parte fazer tudo isso!!
    porem estou com uma duvida, escrevo romances etc…. e queria saber se posso colocar ou mencionar alguma marca, ou algum nome de alguma coisa como por exemplo: Coca-cola??! posso colocar no meu livro isso? ou tem que pedir permissão? direitos autorais etc????!! Tipo, meu personagem fala:
    - adoro coca-cola! (um exemplo)
    e o outro diz:
    - prefiro Dolly hehe………. Tera algum problema? fico muito grato por sua iniciativa aos jovens escritores….

    1. brunogrunig says:

      Olá Alexandre. Sem problema, da maneira que você colocou. Vá em frente. Um abraço.

  33. Ordisi says:

    Olá. Li todos comentários mas não vi nenhuma questão parecida. Gosto muito de expandir o universo de obras já existentes. Escrevo o que pode ser chamado de fanfics, mas com cara de livro mesmo. Uso o universo criado em outras obras (filmes, livros, etc…) inclusive citando nome de personagens deste universo. Pode dar algum problema autoral? Existe uma possibilidade de um dia algo assim vir a ser publicado? Por exemplo, estou quase finalizando um livro que seria a continuação da triologia The Matrix. Se eu publicasse algo assim na Internet, ou mesmo vendesse) poderia ser processado? Se fosse gratuito tudo bem? Obrigado e parabéns pelo site e pela atenção dispensada a todos.

    1. brunogrunig says:

      Olá Ordisi. Eu creio que há problema sim. Quem tem os direitos autorais de uma história, uma saga, uma série, é seu autor. Ninguém mais está autorizado a continuar a história ou criar novas histórias com aqueles personagens. Se for de graça, pior ainda, porque vai deixar os autores originais indignados e além de não ganhar nada com isso, você pode ter que desembolsar algum para ressarcir os prejudicados. Seria bem melhor você criar seus próprios personagens e sua própria história. Um abraço.

  34. Eduardo says:

    Quero muito escrever um livro… moro no Brasil mais quero escrever um livro onde a historia se passa no Estados Unidos, tem algum problema?

    1. brunogrunig says:

      Olá Eduardo. Sem problema, pénso eu. Ficção é ficção. Se a história é inventada… Um abraço.

  35. lucas says:

    Desde criança eu gostava de inventar historias .
    Elas sempre ficam só na minha cabeça porque eu travo na hora de passar para o papel .Tentei fazer um pequeno resumo de todas elas e funcionou.
    Mas agora o meu maior problema é ter certeza de que minguem numca criou uma historia semelhantes as minhas.Como saber?

    1. brunogrunig says:

      Olá Lucas. Isso é bem difícil, não acha? O negócio é seguir em frente e tentar publicar, fazendo o melhor que você puder. Um abraço.

  36. clarice says:

    Olá Bruno, adorei suas dicas. Sou artista plástica, e gostaria de escrever um livro sobre algo real que aconteceu comigo, uma história intrigante, com mistérios e muita mentira por mim desvendados, e ela envolve um africano e um americano. O que gostaria de saber é se preciso da autorização deles para escrever, ou se posso mudar os nomes e cidades envolvidas. Um abraço

    1. brunogrunig says:

      Olá Clarice. Tudo que envolva situações reais ocorridas com terceiros é complicado. Mas se você escrever como se fosse ficção, creio que não há problema. E como você disse: mude os locais, invente nomes. Um abraço.

  37. Thaina says:

    Nossa , o meu maior sonho é escrever um livro, o teu site me ajudou muito , vou começar hoje ,
    conheça um pouco do meu ” trabalho” , eu amo escrever ,rs (:
    boa sorte, e muuuuuuuuuuuuuuita imaginação pra nós .

    1. brunogrunig says:

      Olá Thaina. Valeu a visita, um grande abraço.

  38. Rinato says:

    esse seu livro está à venda em porugal?

    1. brunogrunig says:

      Olá Rinato. Infelizmente não. Eu só recebo pagamentos através do pagseguro e me parece que ainda não é possível o acesso de outros paises. Um abraço.

  39. Leonardo says:

    Bom,estou escrevendo um romance mas não tenho o progama de computador para escreve-lo e publica-lo,por enquento esto escrevendo em caderno se voces souber de algum programa bom me digam por favor.

    1. brunogrunig says:

      Olá Leonardo. Está indicado aí no site o Ywriter, que serve justamente a este propósito. Um grande abraço.

  40. Rodrigo says:

    Legais as dicas vou começar a escrever um livro agora ! Obrigado e um abraço

  41. mathews says:

    Bom dia eu estou querendo saber como se escrever um livro que atinja em cheio o publico adolescente como hary potter e crepusculo, tem que ser um livro de ficção e com muitas batalhas, ou então brigas no colegial. por favor me ajude.

  42. Olá, gostaria de saber se eu posso colocar em um estado real, uma cidade fictícia.
    Obrigado e parabéns por essa ferramenta de ajuda.

    1. brunogrunig says:

      Olá Tiago. Sem problema, creio eu. Quem iria reclamar? Ficção é ficção, uai! Um grande abraço.

  43. Alexandre says:

    obrigado pela dica… compreendo… muito obrigado mesmo…

  44. Alexandre says:

    po, eu tenho todos os dias uma historia em mente, mas sempre na hora de por no papel eu fico ressabiado, como começar, eu nunca consigo, e assim eu perdi varias coisas boas que meu eram historias muito iradas… e agora eu estou com um titulo em mente, “Calmaria”, mas também tenho uma história, mas agora eu foco no final, e fico com medo de não saber terminar a história, e me atrapalho todo e nunca consigo começar a escrever. O que eu devo fazer ? em relação ao final, pois se eu começar eu vou embora escrevendo, adoro escrever, mas sempre imagino co o devo dar o final, poderia me ajudar? agradecido Alexandre Xavier de Lara…

    1. brunogrunig says:

      Olá Alexandre. Há algumas dicas no site e também em meu Ebook. Mas uma coisa é certa: se você não começar nunca… você entendeu. Leia muito e vá praticando. Um abraço.

  45. CLJANE says:

    Boa tarde,bem meu amigo.Na realidade gostaria de descrever um trecho de minha vida a partir da data da partida da minha amada filha,para ficar algum registro,como ela era como pessoa,isso para que um dia no futuro os filhos possam conhecer a história da mãe,pois eles conheceram outra mãe e devido a idade não sei se terão essa curiosidade.Eles ficaram muito pequenos,a vida tirara a mãe deles prematuramente ( 2anos a menina e o menino 6 meses de vida uterina).Gostaria de escrever para ser lição de vida,para mães e filhas…..um despertamento,pois estamos vivendo em dias de uma grande falta de amor entre filhas e mães….Um abraço

    1. brunogrunig says:

      Olá Jane. Vá em frente, Jane. Creio que você tem razão, talvez possa trazer uma luz para outras pessoas. Um grande abraço.

  46. mathews says:

    Ola me chma Mathews, tenho 15 anos e estou escrevendo um livro chamado “Missão de Frente” é sobre um agente que vai numa missão com sua esposa onde ela acaba morrendo, ele decide abandonar a profissão, entao dois anos depois de sua esposa ter morrido um chefe de um departamento de demolidores que o nome dado a esses agente porque eles entram dentro de uma especie de maquina que transporta apenas uma pessoa,e essa maquina tem armas por toda parte, logo é uma maquina de destruição então o chefe do dpartamento contrata ele e dai começa a historia, bom eu queria saber como começar esse livro, e alguns macetes para livros desse estilo, voce pode me ajudar?

    1. brunogrunig says:

      Olá Mathews. A resposta está por aí em todo o site. Faça um resumo. Se você tem uma história, dever ter esta história do começo ao fim. De quatro a dez páginas. Se não consegue chegar ao fim… você não tem uma história. Quando tiver seu resumo, você mesmo saberá como escrever o livro. Um abraço.

  47. brenda says:

    o mau titolo é dois amigos e a morte
    voces acham que ele vaiii ser legau

  48. brenda says:

    eu sempre quis escrever um livro mas achei um pouco dificio pq ia demorar quase um ano … mas depois destas dicas aii eu vou comessar agora……..
    blz

    1. brenda says:

      eu amo escrever livros ele vaii sair nas bancar de jornais logo logo

    2. brunogrunig says:

      Olá Brenda. Vá em frente, sem medo. Um abraço.

  49. Vinícius Nogueira says:

    Olá,
    primeiramente, parabéns pelo blog. Lendo as perguntas e suas respostas já tirei muitas das minhas dúvidas.

    Vamos lá… tenho 24 anos e nunca escrevi, tirando raras estórias de ficção baseadas em humor com alguns amigos em uma comunidade do orkut na qual em cada postagem um completava a estória do outro. Por fim, ficava algo como um emaranhado de acontecimentos…Mas como o foco era o humor, ficava bem legal. Pois bem, comecei há poucos dias escrever um livro de ficção. Nesse livro o “herói” surge em algum ponto da Europa há + ou – mil anos atras… Ele percorrerá como um observador da raça humana por milênios; verá a nossa Era acabar e outra surgir das cinzas… As minhas dúvidas são as seguintes:
    Qual a dica que você me dar pra eu ñ dar voltas demais? (eu detalho muito)
    Não pretendo que tenha um final feliz… Acha que os leitores podem se decepcionar?
    Estou escrevendo meio linearmente (com alguns erros mesmo; alguns personagens ainda sem nomes, que eu substituo posteriormente; Repetindo palavras no mesmo trecho, para depois substituí-las usando um dicionário de sinônimos) para só depois editar. Escrevo um capítulo e em seguida leio e releio fazendo as devidas correções. Algum problema nessa método?
    Pretendo que se torne uma trilogia por ter muita história pra contar. Mas na segunda e terceira história, o personagem muda drasticamente seu modo de agir… Acha que vai ficar muito comflitante com a primeira?
    Ainda não fiz bem um resumo… Fiz um sistema de tópicos e sigo-os. Desenvolvo em cima de cada um dos tópicos, que acabam virando capítulos… É melhor fazer logo o resumo?

    Enfim, comecei a escrever pensando em perguntar outra coisa, mas esqueci… rsrs.
    Se puder me responder, ficarei muito grato.
    Desde já agradeço a atenção.

    1. brunogrunig says:

      Olá Vinicius. É meio difícil dar uma opinião. De maneira geral seria melhor que você tivesse um resumo, para tornar a coisa mais objetiva. Caso contrário você pode perder-se em meio a descrições, situações, etc. Lembre-se de uma coisa: em ficção, corte tudo que não é ficção. Muita firula, muito volteio, muita poesia… corte. Vá direto ao assunto. Um abraço.

      1. Vinícius Nogueira says:

        Muito obrigado pela resposta… Sobre os cortes, vai ser bem difícil mas vou tentar… detalho muito mesmo e talvez o livro passe de 300 paginas… então vamos ver… Abração

  50. Marcelo says:

    Estou escrevendo um livro de aventura, onde as personagens viajam a muitos lugares ao redor do mundo. Estou com um probleminha nisso: nunca estive em nenhum desse lugares, portanto não conheço nada dos lugares por onde as personagens vão. Pode me ajudar com isso?
    Um abraço!

    1. brunogrunig says:

      Olá Marcelo. A solução é pesquisar. Quando for falar algo de lugares conhecidos, é preciso cuidado para não falar besteira. Situar o Big Ben na França, por exemplo… Por outro lado, você pode inventar lugares. Aí é mais fácil, porque tudo pode ser como você quiser. Um abraço.

  51. Bianca Felippi says:

    Bem,eu já escrevi tudo sobre os personagens e os seus segredos estou escrevendo(começado,já escrevi 46 páginas)um livro de ficção e mistério,só que tem um detalhe…eu escrevo no estilo americano(estrangeiro)meus personagens são ingleses,não consigo inventar personagens brasileiros não se encaixam(eu já tentei)com o estilo da história.Acha que tem problema eu escrever sobre ingleses,com uma história estilo Pretty Little Liars misturado com livros de Oscar Wilde,com séries americanas de mistério e suspense?

    1. brunogrunig says:

      Olá Bianca. Não creio que haja problema, desde que você não copie nada, nem mencione pessoas sem autorização. Sendo apenas ficção, pode mandar ver. Um abraço.

  52. Arthur says:

    Gostaria de saber o que as editoras acham de palavrões nos livros?
    e frases fortes?
    e se o livro for direcionado para Infanto-Juvenil?
    você pode me dizer a que tipo de publico esse tipo dialogo cairia bem?
    “No outro dia após a briga da praça eu chamei meus dois amigos,dessa vez eu ia descontar os pontapés recebidos,aqueles imbecis filhos de uma vaca vão pagar de uma vez por todas por terem me esculachado.
    -Yuri,venha aqui – disse maria(irmã mais velha)se aproximando.
    -Cale a boca,sua falsa,você é a prostituta dos rapazes,não venha me falar merda. – Eu disse bravamente empurrando a cabeça dela para o lado e segui caminho a praça,dessa vez com reforço!”
    Só lembrar que o personagem esta irritado,e o livro não é recheaaaado com palavras de baixo calão,somente em alguns situações,mas 1 personagem é conhecido por falar muitos palavrões,não o principal.Agradecido!

    1. brunogrunig says:

      Olá Arthur. Acredito que o uso de palavrões, dependendo da história, seja até mesmo necessário. Já imaginou você relatando uma briga de bar, entre dois bêbados? Seria difícil um diálogo sem palavrões. Ninguém chama um antagonista de “seu sem-vergonha”. Chama é de filho da p… mesmo. Eu somente sou contra o palavrão gratuito. Em meus blogs não permito de jeito nenhum. Os que você escreveu estão saindo, porque não foram destinados a ninguém, serviram apenas para ilustrar seu comentário. Agora, em livros infanto-juvenis, a coisa deve pegar. Creio que talvez a editora, na hora da edição, possa dar uma remendada aqui e ali. Porém o mais importante é a história ser boa. Um grande abraço.

  53. Matheus says:

    Bem primeiramente te parabenizo pelas suas dicas . Vc esta ajudando muitas pessoas . Eu estou pensando em começar a escrever um livro de mitologia grega em um jeito mais de suspense . Queria saber se seria bom eu criar um Semi-Deus? , Por causa que não quero usar os que eu conheço . Ja tenho uma idéia de como quero q seja meu livro . Mais faltam idéias. Não quero fazer um livro de só 50 paginas . Tenho vontade de fazer um livro grande e com um suspense que as pessoas queiram saber o q vai acontecer no final . E gostaria de Saber se é preciso colocar aquelas palavras complicadas que substituem significados simples. por exemplo a palavra PÂNDEGO q significa Feliz. Sera Necessario eu usar esse tipo de palavra?

    1. brunogrunig says:

      Olá Matheus. Quanto à criação de personagens, você é quem decide. Palavras complicadas podem ser usadas, contanto que você as utilize de maneira que o leitor compreenda. Num livro de ficção, fazer o leitor consultar um dicionário… problema. Um abraço.

  54. Dnnyson luso says:

    Olá, eu tenho muita vontande de escrever um livro tenhos muitas historias na menti mais tenho uma ortografia nao muito boa mais graças as sua dicas acho q ja tenho como começar obrigado.

    1. brunogrunig says:

      Olá Dnnyson (ou será Dennyson?). Erros ortográficos podem ser corrigidos numa revisão, não deixe que isto o impeça. E também há dicionários online que podem te ajudar neste particular. Um abraço.

  55. Lays L. says:

    Oi,eu gostaria que você me tirasse uma dúvida básica, por favor: Eu posso misturar lugares reais com lugares fictícios?

    1. brunogrunig says:

      Olá Lays. Creio que tudo depende da história, a princípio. Mas creio que não há problema, contanto que se faça a coisa de maneira natural. Suponhamos que você “crie” uma cidade e a plante em algum estado do Brasil. Quando estiver descrevendo a cidade, pode dar algumas dicas ao leitor, que indiquem que a cidade foi criada, que é uma cidade fictícia, assim como a história. Um abraço.

  56. claudio jr says:

    oi de novo…gostaria de saber se existe algum problema de uma historia não contar o nome da cidade onde ela acontece…obrigado por me responder,…

  57. Laura Lima says:

    Oi Bruno,tenho uma duvida (logico,estou comentando aqui haha)
    eu acabei de escrever um livro e o deixei na gaveta,gostaria de fazer as seguintes perguntas:
    *A editora corrige os erros ortográficos de português?(mesmo havendo muitos,não que eu tenha deixado :P)
    *Qual critério usam para Publicar um livro?(existe um gosto especial?uma formula?)
    *Se por um acaso o livro for bem aceito e quiserem transformar em filme, algum gringo poderia se apossar de minha historia sem comprar os direitos autorais? ou a lei de direitos autorais para escritor brasileiro vigora apenas no brasil? (não que eu espere que meu livro vire filme :c)
    *A editora pode mudar fatos sobre minha historia? modificando algumas partes que não fazem sentido e adequálas para achar razão?
    *Caso eu não tenha escrito de modo a usar palavras bonitinhas rebuscadas,eles me pediriam para acrescentar mais palavras bonitinhas nas frases ou fariam isso eles mesmos? (Eu: O sol apareceu sobre as nuvens naquele momento sombrio – Editora: O sol resplandeceu sobre as nuvens longínquas tornando todo o azul cobalto do céu em sangue escarlate,causando naquele instante um pavor infindável em seus corações ! ) tipo assim.
    Brigada e parabéns pelo site!

    1. brunogrunig says:

      Olá Laura. No caso de você conseguir emplacar seu livro numa editora, é claro que vai haver não somente uma revisão, como uma editoração do livro. Os erros serão corrigidos, com certeza. Isso é revisão. Mas antes disso, um editor vai meter a caneta vermelha no teu livro. Uma editora dificilmente publica um livro sem que um editor experiente reescreva certas partes do livro. Ele não vai mudar a história, mas pode mudar a maneira como ela é contada. E você pode não gostar. Critério para publicar um livro? Fórmula? Rerere… o critério é: “se der dinheiro…”, algo assim. E é muito difícil passar pelo crivo de um editora grande. Ou mesmo uma pequena. Você ama seu livro. A editora… arrrammmm. Não ama. Um livro que vende muito, muito mesmo até o ponto de algum “gringo” querer filmar, não corre o risco de ter a história roubada. Sai muito mais barato par ao gringo pagar seus direitos autorais. Sua última pergunta já foi respondida, creio eu. Só que um editor não vai rebuscar o texto. Creio que vai querer fazer o contrário, se você usar linguagem rebuscada. Um abraço.

  58. Claudio jr says:

    vamo la cara. tudo bem…li suas respostas…e me ajudaram muito…amo escrever descobri que tinha uma pequena chance de escrever um livro quando minha prof. mando a gente escrever uma historia…eu escrevi uma ficção…tinha só 9 paginas…ela gostou tanto que disse que a mandaria para uma publicadora de contos….ao ver isso vi q eu tinha potencial…gostaria de ter a sua opiniao sobre minha nova obra….ela esta com mais de 100paginas e ainda nao terminei…gostaria de te mandar o comeco dela…e saber se ela é boa… me manda seu email pra eu pode envia la… brigado..

    1. brunogrunig says:

      Olá Claudio. Pode mandar, mas não prometo ler tudo, porque o tempo é escasso. Mas dou uma olhada e um pitacozinho com certeza. Um abraço.

  59. gisele says:

    ola meu nome e gisele e tenho 13 anos e ha muito tempo quero escrever um livro ate ja montei um grupinho para começar mas nao deu muito certo ai decidi escrever sozinha ja fiz varios resumos e tenho todos eles guardados mas nao sei como começar a escrever to com muita dificuldade pode me ajudar????

    1. brunogrunig says:

      Olá Gisele. Você precisa ler muito e prestar atenção em como os escritores escrevem. Já é um bom começo. Não existe fórmula mágica, infelizmente. O negócio é estudar, pesquisar. Um abraço.

  60. andrei says:

    olá, me chamo andrei quero muito escrever um livro sobre filhos de deuses gregos com muita aventura e ficção e explorar bastante a mitologia grega.tenho muitas idéias na minha cabeça e coloco tudo no meu caderno confidencial.mas o problema é que quando eu começo a escrever fico com mita preguiça e para terminar um livro levaria uns 2 anos queria saber como tirar essa preguiça e bota a mão na masssa!

    1. brunogrunig says:

      Olá Andrei. Rerere… fórmula para eliminar a preguiça eu não tenho, não senhor. Experimente escrever um pouco todos os dias, no mesmo horário, por trinta dias. Dizem que assim você adquire o costume. Um abraço.

  61. Marilene Oliveira Almeida says:

    bom o resumo já tenho.Aí é que esta o poblema,como fazer este resumo em um livro?

    1. brunogrunig says:

      Olá Marilene. Se o resumo conta a história completa, agora é hora de desenvolver as diversas partes do livro, contar os detalhes, descrever os personagens. Um abraço.

  62. Liliane Almeida says:

    Oi obrigada estava com muita duvida comecei a escrever meu livro estou gostando muito pois amo escrever até agora ele tem 50 paginas fala sobre Paris e de como surgiu minha paixão por ela.

    1. brunogrunig says:

      Valeu Liliane. Espero que siga em frente. Um grande abraço.

  63. Ruth Hellen says:

    Olá, Posso escolher o titulo do livro, mesmo antes de ter terminado?

    1. brunogrunig says:

      Olá Ruth. Creio que seja até mesmo bom fazer isto. Um bom título já diz o que se deve esperar do livro. Um abraço.

  64. Andréa says:

    Fiquei curiosa com a dúvida do Caiuã.

    Como você descreveria um Rolls Royce Silver Ghost de modo que o leitor pudesse formar a imagem do carro na cabeça?

    (PS: Pesquisando no google dá para você ver como é o automóvel, caso não conheça)

    1. brunogrunig says:

      Olá Andréia. Fica aí o desafio. Quem se arrisca? Eu tou fora, infelizmente há muito que fazer e não dá tempo para entrar em coisas tão específicas assim. Um abraço.

  65. Vanderlei Siqueira says:

    Olá, muito boa as dicas realmente, parabéns pela iniciativa.

    Já tenho duas historias então acredito que já passei por esta face inicial que você explica aqui, não que ainda não surjam dificuldades no início da história, nada disso, inclusive penso que elas sempre irão existir.

    Tenho uma duvida maior no entanto, que já pesquisei e não encontrei a resposta em lugar algum, assim, se puder me ajudar ficarei muito grato. A dúvida é a seguinte. Estou começando um romance policial e como brasileiro acho que tenho obrigação de desenrolá-lo aqui no Brasil mesmo, gostaria de saber se posso, citar no livro entidades públicas como a Força Nacional de Segurança, Policia Militar, Exercito e essas coisas. Claro que os policiais e os personagens serão totalmente fictícios, mas, não sei se há algum problema em fazer essa citação.

    Desde já muito obrigado!!!

    Vanderlei Siqueira

    1. brunogrunig says:

      Olá Vanderlei. Não creio que haja problema. Apenas tome cuidado em não denegrir ou difamar. Por exemplo, se um policial é corrupto, que fique claro que é a pessoa, não a corporação. Um abraço.

      1. Vanderlei Siqueira says:

        Perfeito bruno, muito obrigado!!!

        1. brunogrunig says:

          Valeu, Vanderlei. Um grande abraço.

  66. Reinaldo Castro says:

    Obrigado por responder mais uma vez você me ajudou agora vou bota a mão na massa digamos no notbook rere, sim o tema
    e medonho gosto muito filmes e livros de terror tenho cada ideia esse projeto já tem nome será uma trilogia bacana eu vou mostra a você que me ajudou com seu poste no blog só a ultima duvida quando terminar o livro como arrumar uma editora? um forte abraço atenciosamente Reinaldo Castro.

  67. Reinaldo Castro says:

    Meu nome é Reinaldo tenho 20 anos sou fã de livros de terror principalmente sobre zumbi e estou pretendendo escrever uma historia sobre este tema zumbis bem diferente das demais que existe só com alguns elementos semelhante com uma pegada mais terror e horror sua dica foi essencial para mim em três parágrafos conseguir elabora o resumo do livro praticamente a historia toda e agora o’que fazer começo elaborando os personagens? ou detalhando a cidade que eu criei e os demais lugares importantes na historia ou pesquiso mais sobre o tema e elaboro mais detalhado o resumo?. atenciosamente Reinaldo castro.

    1. brunogrunig says:

      Olá Reinaldo. Vixi! O tema é medonho, rerere. Se você tem a história toda do começo ao fim, é hora de começar o livro em si. Com detalhes, descrições de personagens, lugares, cenas. Cenas e cenas. O desenrolar dos fatos. Abraço.

  68. Caiuã Araújo says:

    Obrigado pela resposta.
    Tu és muito atencioso.

    Bem, tenho um pequeno problema na hora de descrever certos objetos e gostaria de saber se você tem alguma dica.
    O problema é o seguinte: Quero descrever, por exemplo, um carro do século XIX. Mas é um automóvel estranho, bem complicado de descrever. Eu pensei em escrever apenas o modelo dele, no caso, Rolls Royce Silver. Mas praticamente ninguém conseguiria reconhecer e visualizar um carro simplesmente pelo nome de seu modelo, já que pouquíssimas pessoas entendem disso, certo?
    E agora? O que posso fazer?

    1. brunogrunig says:

      Não vejo outra alternativa senão… descrever. Você pode dar uma idéia geral ao leitor, como você mesmo mencionou, um Rolls Royce… mas vai ter que fundir a cuca para dar os detalhes. E sem ser muito minucioso. Procure manter o foco no que é mais importante na história. De repente o carro nem é tão importante… abraço.

  69. Caiuã Araújo says:

    Saudações, Bruno.

    Minha dúvida é a seguinte: Sei que dar o livro para alguém ler e dar sua opinião é sempre importante, mas se dá-lo para amigos ou familiares não é bom, como poderei encontrar pessoas confiáveis que não apresentam a possibilidade de “roubar” minha história?
    Como posso garantir que isso não aconteça?

    1. brunogrunig says:

      Olá Caiuã. A única garantia seria registrar o livro na Fundação biblioteca nacional. A possibilidade de alguém apoderar-se da sua obra é remota. Mas existe. É melhor registrar antes de submeter a estranhos. Abraço.

  70. André Dias says:

    Muito bacana suas dicas!! Muito obrigado pela ajuda!!

    1. brunogrunig says:

      Valeu André. Um grande abraço.

  71. Rogerio says:

    Olá,estava lendo alguns das duvidas dos internautas,ajudou-me a tirar varias duvidas,mas eu gostaria de propor um pequeno desafio para você,se for capaz de aceita-lo,queria que escreve-se um pequeno trecho contendo o que te peço,pode ficar tranquilo que não é meu dever de casa,é apenas uma curiosidade de como um outro alguém utilizaria padrões diferentes para narrar, já que cada cabeça é um mundo.Se aceitar está aqui o que te peço,fazer um pequeno texto sobre : Um homem(ferreiro) que vai a uma guerra, vê seus amigos morrerem, perde sua mão esquerda, e seu olho esquerdo,sobrevive e ao voltar para casa contempla seu filho e sua mulher mortos com flechas,indignado com o seu pais comete suicídio,narre em 3° pessoa,escreva o que quiser mas contendo o que te pedir, parabéns pelo blog,é só isso valeu!

    1. brunogrunig says:

      Olá Rogério. Valeu a visita e a sugestão. Espero arrumar tempo para encarar o teu pedido em breve. Um abraço.

  72. Nathan Pegoritti says:

    Depois do meu livro ficar pronto como posso publica-lo e como é o mercado?

    1. brunogrunig says:

      Olá Nathan. Você precisa submeter o livro a editoras ou publicar por sua conta. Um abraço.

  73. marcelo Martins do Nascimento says:

    Ola, meu nome é marcelo…sou de goiania e queria saber qual é o minimo de capitulos que se pode ter um bom livro?

    1. brunogrunig says:

      Olá Marcelo. Um livro de ficção é dividido em capítulos “por dividir”, digamos assim. Porque ele não é escrito assim. Não há número mínimo ou máximo de capítulos. Use o bom senso. Escreva o livro. Isso é o mais importante. Contar a história de maneira a prender a atenção do leitor, para que chegue até o fim. Um livro interessante pode ter oito dez capítulos. E um livro porcaria pode ter quarenta. O que importa é a qualidade. Um grande abraço.

  74. aninha says:

    Primeiramente parabéns pela matéria. Não há dúvidas de que seu livro será sensacional.

    Mas… eu tenho uma dúvida em relação à produção textual e acho que você pode me ajudar. É o seguinte: a professora ordenou que eu e a turma escrevêssemos um texto sobre determinado assunto; eu utilizei nele palavras como: lastimável, célebre, tenra, morigerar, entre outras. Li o texto para minha irmã e ela disse que como eu em breve o leria para minha turma (1° ano do ensino médio), deveria usar palavras mais simples; disse que ninguém entenderia minha produção da forma como ela estava. Questionei na hora, afinal qual é a graça de aprender palavras novas sendo que você não pode usa-las.

    E então? O que acha disso tudo? Qual de nós duas está certa?
    Desde já agradeço.

    1. brunogrunig says:

      Olá Aninha. Acredito que voces devem estar empatadas. Porque não há nada de errado em usar palavras diferentes. Entretanto, rechear um trabalho com elas para demonstrar sabedoria… arrrammm… Você entendeu. Aliás, vamos e venhamos… lastimável, célebre, tenra, tudo bem. Mas morigerar… é brincadeira, Aninha. Não faça isso com você mesma. É rebuscamento demais. Lembre-se: uma coisa é escrever bem. Outra muito diferente é rebuscar. Rebuscamento é uma demonstração de insegurança. Ah, sim… eu acabo de buscar “morigerar” no dicionário. Não conhecia esta palavra. E tenho quase certeza que seus colegas de classe também não. Por isso, se houver mais algumas do mesmo naipe, melhor tesourar. Um grande abraço.

      1. aninha says:

        Obrigado por responder.

  75. Rennan says:

    Oi! Eu gosto muito de seus posts, já li todos. Eu queria uma ajuda, eu quero escrever um livro, tenho uma ideia na cabeça e gostaria de coloca-la no papel, mas eu não tenho tempo, estou sempre fazendo trabalhos e mais trabalhos e não tenho tempo para escrever o livro, pelo menos não tanto que eu gostaria, eu tenho apenas um pequeno tempo nos dias de domingo, mas em pleno domingo, o tempo que eu tenho eu gostaria de passar do lado da família, então eu gostaria de saber uma dica para tentar arrumar um tempo para a escrita.

    Obrigado!

  76. Fábio Rodrigo Funck says:

    Olá
    Estou escrevendo um livro baseado no Senhor dos Anéis. Já escolhi o nome dos personagens e inventei uma terra fictícia, mas tem dois problemas, 1: acho que estou colocando poucos detalhes na história, e o que deveria ser uma história longa, está se tornando muito curta. 2: tenho problemas em fazer falas em linguas que não existem, como o élfico.
    Será que você poderia me ajudar?
    Um abraço

    1. brunogrunig says:

      Olá Fabio. Rerere… essa eu vou ter que passar. Nem sequer assisti o filme. Quanto à história ficar longa ou curta, você é quem deve manejar os detalhes. O que o leitor precisa saber? Dá para visualizar a cena? Examine cada cena. Um abraço.

  77. catarina miranda says:

    adoro livros. uma vez começei a escrever um mas sem querer apaguei-o. escrevi esse livro sobre as bonecas Monster High. acha que é um bom assunto para um livro??

    1. brunogrunig says:

      Olá Catarina. Agora você me apertou sem me abraçar… Não sei que bonecas são estas, me desculpe. Mas se você tem uma boa história, porque não desenvolver? Abraço.

  78. Murilo Chagas says:

    Eu quero escrever um livro de ficção e sei o nome das personagens e a essência da história, porém tenho duas dúvidas: 1ª. Quero escrever uma história sobre zumbis, um assunto sempre visto em filmes e livros, a partir de que ponto minha história pode ser considerada um plágio das outras histórias? 2ª. Eu posso colocar nomes de marcas famosas sem ter qualquer natureza de problemas no meu livro? por exemplo: Coca-Cola. Obrigado

    1. brunogrunig says:

      Olá Murilo. Dificilmente seu livro será considerado plágio, se você realmente escrever a história. Se copiar… aí é encrenca. Mencionar marcas e nomes famosos não é problema, dependendo do que você vai dizer. Se, por exemplo, “inventar” como a coca-cola doi criada, mpode arrumar confusão. Mas o simples fato de mencionar, não é problema. Um abraço.

  79. JULIERME JULIO SILVA KERR says:

    OLÁ, TENHO VONTADE DE ESCREVER UM LIVRO BASEADA NUMA FOTO DE UMA GAROTA DO AFEGANISTÃO, GOSTARIA DE SABER PARA QUE UM DIA SE EU MANDA FAZER MEU LIVRO A FOTO DA GAROTA EU TEREI QUE TER PERMISSÃO DO FOTOGRAFO PRIMEIRO POIS ELE E FAMOSO? QUERO FAZE UM LIVRO COM CAPA ILUSTRADA, COM ALGUNS CAPÍTULOS, UNS PERSONAGENS E A HISTORIA DA GAROTA CRIADA POR MIM MESMO A HISTORIA SERÁ DE UM CLIMA BEM AFEGÃO. E PARA MIM PUBLICA ESSE LIVRO UM DIA EM DOIS IDIOMAS NO INGLÊS E PERSA NO BRASIL FAZEM ISSO TAMBÉM? E ONDE CONSIGO FAZER ISSO?

    DESDE JÁ ESPERO PELA SUA RESPOSTA.

    1. brunogrunig says:

      Olá Julierme. Você teria que pedir permissão ao fotógrafo. Não se preocupe agora com as versões em outras línguas. Escreva o livro primeiro. A tradução pode ser feita, é claro, basta você querer. Um grande abraço.

  80. Clarice says:

    Oi,
    Tenho 15 anos e uma vontade imensa de ser uma escritora, tenho duas ideias para livros. Enfim, o meu maior impecilio é o capitulo, ano passado estudei no colégio a estrutura do conto, o que me ajudou muito. Portanto gostaria de saber se existe a estrutura do capitulo ou romance, para que conseguisse construir essa parte mais técnica do livro.
    Obrigada pelas dicas que creio eu serão de enorme utilidade.

    1. brunogrunig says:

      Olá Clarice. Não se preocupe com isso agora. Preocupe-se em escrever uma história coerente, com começo, meio e fim. Na verdade, nos livros de ficção, a divisão em capítulos não tem muita importância. Um abraço.

  81. Sandy says:

    Oie, eu tenho 11 anos e quero escrever um livro ficção eu ja tenho os personagens e a historia (paragrafo) estou começando a sinopse so que tenho medo de que quando o meu livro estiver pronto ninguem goste ou ele sai errado, ou coisa pior…. sempre gostei de escrever e ler desde que eu me entendo por gente meu sonho é ser uma escritora famosa.
    Só que quando eu escrevo a sinopse eu sempre acabo rasgando por achar que tem coisas de mais ou de menos, o que devo fazer a respeito?E vc tem uma dica para eu me sentir mais confiante a respeito do livro?
    E obrigada pelas dicas.

    1. brunogrunig says:

      Olá Sandy. Eu tenho uma dica excelente para você. Aproveite a sua infância e juventude. Você está preocupada com apenas 11 anos. Eu, com 54 deveria estar o quê? Desesperado? Vá com calma… Um abraço.

  82. Andressa says:

    Estou escrevendo duas histórias, já fiz os resumos, escolhi os nomes dos personagens, e escrevi alguns fatos que vão ocorrer , e já sei o final das histórias. E para não atrapalhar vou me consentrar em escrever a primeira história , mas nessa história tera alguns personagens estrangeiros, eu fico na duvida será que quando eu for escrever a fala desses personagens eu devo escrever no idioma que eles falam ?

    1. brunogrunig says:

      Olá Andressa. Creio que não. Os leitores não iriam entender, a menos que você coloque uma tradução. Se forem poucos diálogos, não há problema. Mas se forem muitos, acredito que vá ficar meio enfadonho e acabar irritando o leitor. Mas isso é só a minha opinião. Procure pesquisar mais. Um abraço.

  83. gabi says:

    Queria escrever um livro, mas não sei como começar, ja tenho a historia, os nomes dos personagens, mas não consigo escrever o começo, sempre que tento algo da errado :/

    1. brunogrunig says:

      Olá Gabi. Simplicidade. Isso é o que você precisa. Tente contar sua história completa num resumo. Enquanto você não conseguir isso, não tem uma história. Veja o exemplo deste mesmo artigo. Um grande abraço.

  84. Isaias A pereira says:

    Estou tentando terminar um ensaio sobre moral. Poderia ler uma página e dar sua opinião. Sei que deve ser muito ocupado, mas preciso muito de uma opinião profissional. Posso envia-la por email caso não se encomode de opinar. Agradeço, forte abraço sucesso em seus projetos para este ano de 2012.

    1. brunogrunig says:

      Olá Isaias. Pode enviar a página, sem problema. Um abraço.

      1. Isaias A pereira says:

        Da juventude

        A juventude quando imbuída de nobres ideais transforma ou inventa uma sociedade. Recebe uma força que não pode ser contida ou represada; não a diques que a detenha. Desce as encostas mais íngremes da personalidade humana, arrastando antigos preconceitos; invade os campos improdutivos do coração e os fertiliza; derruba os castelos erguidos sobre a velha moral, para reerguê-los entre novos valores, mais justos e verdadeiros.

        Ante a força que avança, esmagando os pilares da ignorância, rendem-se os homens, ajoelham-se as nações. Não há exércitos no mundo que a paralise ou a faça estacionar. Combate-la é bater em ferro frio. Não se pode forja-la sem a chama dos ideais que arde e inspira; não se intimida diante da fogueira em brasa, que queima os santos e mata os apóstolos da perfeição. O homem que a possui na sua mocidade deve conserva-la na velhice; quem não a guarda corrompem os jovens que os sucedem na historia. Um povo que não cuida da sua juventude não deve esperar justiça e dignidade para as gerações que envelheceram. A semente lançada na terra ao acaso não produz fruto de qualidade; necessita de cuidados especiais: a correção mineral do solo e a quantidade correta de fertilizantes assegura a boa produção da lavoura.

        Se a juventude comete erros deve ser corrigida a pulso firme e severidade crônica; não se combate a praga na plantação com agua e sabão, carece de certa dose de veneno. Os jovens estão fartos de conselhos e de sermões. O cálice da renovação, não se deita em taças de misericórdia vítrea; derrama-se em cristais de dor e de sofrimento. A gota de remédio é servida diretamente na boca do enfermo, sem auxilio de apetrechos inconvenientes. É tarefa descomplicada aprumar o arbusto ainda verde, mas não se pode endireitar a velha arvore, senão, a corte de machado e serrote.

        Bem-aventurado o jovem que não se desvia de sua rota; a sua rebeldia bem direcionada plasma o futuro da humanidade. Sob a luz da liberdade que aspiram, marcham em todas as direções, contrariando a velhice conservadora, que se curva a antigos dogmas religiosos e filosóficos. Velhos no espirito, já não sonham, nem sustentam ideais; animais domesticados, não ousam deixar os currais onde vivem e se fartam; ovelhas que se dirigem ao matadouro em fila indiana, não se recusam a fornecer a última tosa de lã aos pastores que as oprimem. Louvadas são as almas que não se podem domar com petiscos e ração, que não dobram os joelhos para morrer; nem se vergam a sombra das arvores, que crescem na penumbra a beira do caminho. Bendita é a centelha da mocidade idealista que ascende as chamas no horizonte da razão, queimando as fronteiras psicológicas do patriotismo inconsciente, moldando o homem planetário, mais evoluído; preparando o progresso, renovando os ideais.
        Isaias

        Agradeço desde já sua sincera opinião. Um abraço

        1. brunogrunig says:

          Olá Isaias. A minha sincera opinião então aqui vai: rapaz, tú escreve bem pra caramba! E foi bom não ter achado email nenhum. Já que colocou aqui, sugiro que deixemos aqui mesmo, pois este pequeno trecho serve de exemplo para muitos que desejam escrever. Pelo trecho enviado, não dá pra saber exatamente em que consistiria o seu livro, mas garanto a você que conheço pouca gente que escreve bem assim. E estou dizendo isso pelo seguinte: mesmo usando um tipo de linguagem que poderia parecer rebuscada, é possível compreender o texto. Faz sentido. Parabéns e um grande abraço.

          1. Isaias A pereira says:

            O livro é um pequeno ensaio sobre moral, que pretendo terminar este ano. Apesar da opinião vir de quem vem, não me sinto lisongeado, nem envaidecido, me sinto grato. Existem coisas que não se pagam na vida, esta é uma delas. Quando terminar de escrever será o primeiro a receber o meu livro. Por enquanto, gostaria de saber onde posso encontrar este seu, “Como Escrever um Livro” em formato normal, de livro mesmo, sabe? gostaria de te-lo em minha biblioteca e na minha cabeça. Um abraço Bruno, com minha sincera gratidão.

      2. Isaias A pereira says:

        Desculpe, postar a página aqui; não encontrei nenhum email no site.

  85. João Paulo says:

    Bom, eu acho que minha dúvida é muito comum, pois tenho enorme dificuldade em continuar uma história. Já tenho várias começadas, mas nunca terminadas. Já escrevi alguns contos e tudo mais e agora gostaria de expandir um pouco mais, com uma história em um livro, uma história de ficção. Já tenho toda a idéia, mas é dificil colocar em capitulos e tudo mais. Também tenho dificuldade em escolher se a história será narrada em primeira ou terceira pessoa. Qual é a sugestão para esta última duvida?

    1. brunogrunig says:

      Olá João Paulo. Realmente é comum acontecer isso. A gente começa com o maior gás e depois… babau. Não sei exatamente qual o motivo, mas tenho a impressão de que se você não consegue continuar é porque não tinha um história. Pense, por exemplo, no caso de uma pessoa que vai contar uma piada. Ela se entusiasma na rodinha de piadas e pede a vez. Mas não se lembra do final da piada. Ou seja, ela não tinha uma piada para contar. Assim é com as nossas histórias. O negócio é só começar a escrever algo do qual se sabe o final. Se você não tem um final, não tem uma história. É melhor ter um final razoável do que somente um começo magnífico. Se o protagonista da história participa de pelo menos setenta por cento das cenas, você pode fazer a narrativa em primeira pessoa. Se for uma história onde as cenas se dividem muito entre os personagens, a terceira pessoa é indicada. E pode-se usar as duas na mesma história, contanto que o leitor saiba quem está narrando. Mas lembre-se que isso só vai acontecer no livro em si. Antes disso você precisa de um resumo completo.

  86. Jose Roberto says:

    boa noite,

    estou querendo escrever um livro com varias histórias reais referente ao meu ramo de atividade “Gerente Comercial de Seguros”, porém estarei encrementando alguns fatos engraçados ou dramáticos em cada história. Como devo dividir o livro? Quantas historias no máximo posso contar, para que o livro não fique cansativo?

    Obrigado

    1. brunogrunig says:

      Olá José. Tenho uma sugestão. Como o livro gira em torno do mesmo assunto, você pode estabelecer um objetivo para o mesmo. Talvez algo que possa ajudar pessoas que exercem a mesma atividade. A quantidade de histórias depende do tamanho de cada uma. E se você achar que o livro vai ficar longo demais, pode pensar em dividir em dois volumes. Um abraço.

  87. Helloá says:

    o livro é uma arte que deve ser prsticada por todos a vida do ser umano deve ser glorificada em nome do livro a nossa historia deve ser escrita

    1. brunogrunig says:

      Olá Helloá. Obrigado pela visita. Um abraço.

  88. Eduardo Vinicius says:

    o meu problema é q eu tenho uma idéia mas depois cria outros ramos e acabo perdendo o foco, o q eu faço ?

    1. brunogrunig says:

      Olá Eduardo. Creio que o problema aí é que você não tem uma história central. Você precisa criar um ramo central para sua história. E um objetivo final. Caso contrário pode acontecer o que você está dizendo… várias histórias dispersas, ao invés de uma história com ocorrências paralelas. Um abraço.

  89. Christian Santos says:

    O meu problema é o seguinte, não consigo criar nada de legal em um planeta como a terra. Entende o que quero dizer? Mas sempre que penso em criar um outro mundo, com novas raças e novas cultuaras, fico com muta preguiça. o que eu faço????

    1. brunogrunig says:

      Olá Christian. Pra você ver o trabalho que Deus teve para criar o mundo… criar tudo de novo é difícil… Espante a preguiça e comece por algum lugar. Um grande abraço.

  90. Catiane says:

    Olá…
    Bom ja faz muitos anos que pensei em escrever um livro sobre minha vida, mas nunca criei ânimo.
    Hoje estou decidida!
    Muito obrigada pelas dicas. Abraço

    1. brunogrunig says:

      Olá Catiane. Não pense duas vezes, mande bala. Um grande abraço.

  91. Rennan says:

    Gosto muito de seus posts, tenho lido todos que ensinam como escrever u livro ou algo do tipo. O meu problema é um pouco complexo, eu escrevo muito, escrevo redações quase que diariamente, meus professores elogiam minha escrita, mas não a história, apenas o jeito como brinco com as palavras, eu até que tenho histórias boas na cabeça, faço resumos, mas na hora de passar a limpo parece que a história não convence e eu acabo desistindo dela, eu sei que é errado, mas é automático. Queria uma dica para dar mais brilho e louvor as histórias que invento, gosto de escrever ficção.

    Desde já, Obrigado.

    Atenciosamente!

    1. brunogrunig says:

      Olá Rennan. Eu acredito que você precise ler mais livros do gênero que gosta. E ir um pouco além: ler primeiro como um leitor comum, e depois como alguém que quer aprender. Observe como o escritor montou a história, como inseriu os personagens, como cada personagem se realciona com os outros e assim por diante. Eu sugiro ler escritores americanos, que usam métodos padronizados para escrever ficção. Um grande abraço.

  92. Daniel Braga says:

    Eu estou começando a escrever um livro, que inicialmente se passa em um país fechado, onde as pessoas não tem informação sobre absolutamente nada do que acontece fora dele, mas para elas isto não é um problema, pois a situação é assim há muitas gerações e elas já se acostumaram.
    Na verdade o meu maior problema está sendo para criar o nome deste país e também o nome do universo em geral onde se passa o livro, pois sendo este um universo criado, eu teria que criar também um mapa com as informações e nome de cada local, além da cultura dos moradores de outros lugares, e isso é bem complicado.
    Teria alguma dica ou algo que possa me ajudar com isso? sei que é complicado, mas realmente desejo muito levar este livro pra frente.

    desde já, obrigado.

    1. brunogrunig says:

      Olá Daniel. Creio que o nome do país não seria grande problema, uma vez que é fictício mesmo. É só usar a imaginação. Como você já deve ter uma idéia dos costumes e cultura do país, que tal criar um nome que retrate alguma destas coisas? Criar um mapa já complicou a guerra. Creio que você pode simplesmente descrever adequadamente o local e deixar o mapa por conta da imaginação do leitor. Mas de qualquer maneira é preciso dar nome aos locais, cidades, etc. Se forem muitos… Acredito que você deveria partir para um resumo sério da história. À medida que vai evoluindo as idéias vão aparecendo. Um abraço.

  93. Douglas says:

    Eu estou começando a escrever um livro de ficção. Eu tenho toda a história pronta, mas quando eu chego em um determinado ponto eu simplesmente travo, não consigo mais escrever. Não sei se é porque sou muito jovem para escrever (tenho treze anos), ou se foi porque eu não escrevi muitas redações (mesmo que eu tenha todo bimestre duas provas de redação). O que eu devo fazer?

    Desde já agradeço.

    1. brunogrunig says:

      Olá Douglas. Depende do ponto em que você trava. É preciso descobrir o motivo. Geralmente é porque você não sabe a história inteira. Não creio que seja pela idade. É claro que a maturidade ajuda, mas só se você ler muito e praticar. Experimente escrever um resumo completo do seu livro, com começo, meio e fim. Talvez assim chegue a um resultado. Lembre-se: você precisa saber o final da história. Um grande abraço.

  94. Fernanda Wosiak says:

    Bom dia.
    Comecei a escrever um livro exatamente assim. Hoje tenho umas 35 paginas, mais ou menos umas 20 personagens. Divididas em 15 textos as historias estão um pouco sem sentido. Cada uma delas esta em um momento diferente e aos poucos estão se interligando.É uma aventura e acho que esta ficando muito bacana, as pessoas que leram pedem mais e mais textos. Mas acho que minha falha ainda está em decidir a época onde as historias passam ( até porque estou fazendo uma mistura de passado, presente e futuro). Algumas historias se passam em outros paises, estou insegura quanto a isso pois alguns deles nunca visitei.

    O que gostaria, são dicas para dar mais riqueza de detalhes nos personagens e cenarios. Quando escrevo, parece que estou no local onde se passa a historia, então eu posso ” ver” cada detalhe e as vezes deixo passar alguns itens despercebidos. Mas também não quero exagerar. Ja li livros que tinham tantos detalhes que eu não consegui imaginar do meu jeito e acabava imaginando de jeito nenhum. Abandonei a leitura.

    O que tem a me dizer?

    1. brunogrunig says:

      Olá Fernanda. Muitos detalhes realmente podem tornar a história chata. É preciso pegar o jeito de descrever coisas e lugares de forma clara e curta. Quanto aos países, você precisa pesquisar, para não incorrer em erros grosseiros. Um errinho aqui ou ali, pode passar despercebido. Refiro-me a erros feios mesmo, como por exemplo errar a língua que é falada num determinado país. Outras coisas, como costumes e tradições, podem ser mais ou menos “maquiadas”. use a imaginação. Um grande abraço.

  95. dirce maria says:

    Olá,tenho uma historia sobre a minha vida e meu desejo é escrever um livro,s é um assunto bem polemico atual,a dez anos atrás fui vitima de erro médico no parto de minha filha por impericia médica o processo ainda corre na vara cível mas sei que um dia vai ter resultado, ela teve paralizia cerebral,escrevo um diario desde que ela teve alta.,funcionou como uma terapia pois escrevendo consegui desabafar toda a minha indignação.
    Dirce

    1. brunogrunig says:

      Olá Dirce. Sinto muito o acontecido. Creio que seu livro seria importante, na medida em que alertasse sobre o problema. Vá em frente. Um grande abraço.

  96. jadson says:

    eu sei mais quero escrever sobre mitos oq que eu faço?

    1. brunogrunig says:

      Olá Jadson. Sua pergunta está um pouco vaga. Seja mais específico e talvez eu possa lhe dar alguma dica. Um abraço.

  97. eimlson pacavira says:

    baste q vc tnhas, uma boa historia pra transmitir.ao leitor.,…..

  98. Nanda Birindiba says:

    Olá, me chamo Nanda Birindiba, eu faço parte do recanto das letras, um site onde é possivel publicar textos, cronicas, contos em geral, na verdade você publica o que quiser, pois o site é subdivido em temas, então voce se cadastra e escolhe em qual sub tópico qures escrever. Eu tenho diversas cronicas, não só nesse site como também em meu blog, deve chegar a cerca de 32 cronicas e mais ou menos uns 50 poemas, porem meus poemas n estão publicados em lugar nenhum, só coloco na internet minhas cronicas. Portanto deixarei o site do recanto das letras para q posteriormente você possa olha-lo e me dizer se escrevo bem ou não e se posso vir a publicar um livro só de cronicas e se tenho poetencial para publicar um livro de contos e romances. O site é: http://www.recantodasletras.com.br e meu blog é: http://www.nandabirindiba-jornalista.blogspot.com. Se possível me envie um e-mail me informando o que achou. Desde já agradeço a atenção.

    Att:
    Nanda Birindiba

    1. brunogrunig says:

      Ok, Nanda. Vou dar uma espiada. Um abraço.

  99. sandra says:

    olá,me chamo sandra sou louca por livros, principalmente de ficção adoro historia fantasiosas,e quero escrever livro alias sempre quis desde os tempos de escola.sempre fui de escrever muito, era só ficar parada um pouquinho e logo estava eu escrevendo algumas historias quase sempre era de romance,agora que estou mais velha queria levar essa historia de escrever a sério, mais não consigo ter nenhuma boa idéia,isso é tão frustrante.Quero escrever um livro de ficção algo que possa se torna uma saga o que faço pode me ajudar.

    1. brunogrunig says:

      Olá Sandra. Creio que a primeira coisa a fazer é aprender como se escreve um livro. Para não ficar gastando ficha à toa, entende? Quando tiver um boa idéia a respeito, acho importante escrever o primeiro. Não importando se vai ser “aquele livrão”. Apenas colocar a mão na massa. Escrever uma história mais simples para começar. Isso vai lhe dar uma boa noção para os próximos trabalhos. Em geral – salvo raras exceções – o primeiro livro vai ser meio capenga. Mas é um começo. E caso a história seja boa, você pode reescrever, corrigindo os erros anteriores. De repente, a idéia que você acha que não é boa… acaba sendo a melhor. O importante é começar. Um abraço.

  100. Daiana says:

    Um passo a passo especificado

    1. brunogrunig says:

      Olá Daiana. Isto está em meu livro. Um abraço.

  101. Daiana says:

    Escreva mais detalhes.

  102. Débb says:

    Adorei “nem a ciencia explica”…
    rsrsrs,
    só isso mermo.

    1. brunogrunig says:

      Valeu Débb. Um grande abraço.

  103. marcela says:

    Obrigado!!
    Mais nao sei qual nome posso dar aos personagens!!
    Xau
    Vai ser um pouco dificil mais vou conseguir!!

    1. brunogrunig says:

      Olá Marcela. Os nomes não são tão importantes assim. Dependendo da história, é claro. Procure nomes que tenham a ver com o lugar, por exemplo. Um nordestino chamado Michael, por exemplo, não é comum. Melhor Severino, não é verdade? Um abraço.

      1. Waldeir Dorneles says:

        por que o nome Michael não pode ser comum no nordeste, sou nordestino e nem me chamo Severino, Raimundo, Lampeão, Chico: me chamo Waldeir Dorneles, e apenas 5% dos meus amigos tem nomes como os que citei. Valeu amigo.

        1. brunogrunig says:

          Olá Waldeir. Eu não localizei o texto anterior, portanto estou meio por fora. Mas creio que os nomes – pelo menos a maioria – devem ser coerentes com o ambiente da história. Um abraço.