Ainda não é o fim - ebook de Bruno Grünig

Artigos Comentários

Como escrever » Escrever livros » Então você quer escrever livros…

Então você quer escrever livros…

Escrever livrosSe você quer escrever livros, a primeira coisa a fazer é ler. Livros. Do gênero que pretende escrever. Ninguém consegue escrever livros se não tem o costume de ler.

Ao longo da minha caminhada por esta  vida, já vi gente querendo trabalhar com comida, sem sequer saber cozinhar um ovo. Com o sonho de jogar futebol sendo um perna-de-pau. Querendo ser cantor, mas sem estudar, ensaiar. E… arrrammm… querendo escrever livros (e fazer sucesso e ganhar dinheiro e ficar famoso…) sem ler.

E sabe como eu sei que alguém não lê? Fácil. Porque não sabe escrever. Uma coisa não anda sem a outra. Ler e escrever são irmãos gemeos univitelinos. Grudados, amarrados, inseparáveis.

Se você é daqueles que acha um livro de duzentas páginas “muito grosso”… pense bem. Você não está a fim de ler apenas duzentas modestas páginas que alguém (que um dia sonhou igualzinho a você) escreveu. Mas quer não só escrever duzentas páginas, como também encontrar pelo menos umas três editoras que irão arrebentar-se numa briga para publicar sua “obra-prima”. Depois, vender uns cinco milhões de cópias, ganhando uns dez contos em cada uma. E então não precisar nunca mais mexer com essa coisa chata de ler e escrever.

Exagerei? Exagerei. Mas veja aí nas profundas da sua mente, se não acendeu um luzinha…

Escrever livros é pra você?

Escrever livros é uma atividade cansativa. Dá um trabalho lascado. Além de ler pra caramba, você precisa aprender mais um bocado de coisa. E aprender esse bocado de coisa dá mais trabalho. E botar uma idéia legal no papel (tela do computador, né…) às vezes é frustrante. O negócio não vai, dá branco. A tela fica branca. Você insiste. Quer porque quer escrever. Livros e mais livros.

Vai escrever seus livros pra quem?

Mas vai daqui, vai dali… legal. Você conseguiu escrever alguma coisa. Só pra descobrir mais tarde que ninguém está interessado naquilo. É verdade. Sabe porque? Você foi só escrevendo, escrevendo. Não pesquisou, não procurou saber o que as outras pessoas pensam. E querem.

Você escreveu para você. Fazer o que? Leia e aprenda algo para a próxima vez.

Isso é o fim? Só se você for um rosca-frouxa. Saiba que muitos – talvez a maioria  – escritores já fizeram a mesma coisa. Então, aproveite e aprenda com os erros dos outros. Assim você corta caminho. Não escreva para você.

Cara.. cê tá me desanimando…

É isso que você está pensando? Então deixe-me dizer-lhe uma coisa. Se um artigozinho num blog pode acabar com você, pense um pouco. O que é que você vai fazer quando ouvir o primeira não? E as dezenas de “nãos” subsequentes? Se é que você vai aguentar o primeiro.

Certo, certo… tem gente que emplaca logo na primeira. Tem mesmo. As chances de ser um destes acho que são quase como as chances de ganhar na loteria. Por isso, prepare-se psicologicamente para encarar a briga. Se você quer mesmo escrever livros, aprenda, aprenda e aprenda. Pesquise. Treine. E não permita que um não ou um artigo de blog o(a) detenha.

 

 

Filed under: Escrever livros · Tags: ,

ATENÇÃO: Não use o campo de comentários para enviar seus textos para leitura. Há uma página específica para isto. Clique aqui: Submeter texto.

Textos inseridos no campo de comentário serão deletados. NÃO INSISTA!

Está curioso? Aqui estão alguns motivos:
  • A área de comentários é exatamente o que o nome diz. Serve para comentar o artigo acima dela. Se você derrama um texto ali simplesmente, está me dizendo: "Amigão, tou defecando e caminhando pro seu artigo. Dá um bico no que eu escrevi...".
  • Os textos enviados muitas vezes são muito longos. Outros trazem conteúdo não condizente com o blog.

36 comentários para "Então você quer escrever livros…"

  1. Bella Alexia says:

    Olá Bruno…
    Sou fascinada por leituras e amo muito escrever. Sou muito Observadora e gosto de trazer quase sempre para os meus texto, o ramantismo que é uma caracteristica própria de minha pessoa. Mais é claro, ter um gosto não significa que minhas idéias para escrever seja só sobre romantismo Abro exceções para todos os tipos de gosto. Sempre estou lapidando os meu conhecimentos. Doce Herança, Curiosidades de uma Adolescente, Além dos espelhos ficam as lembranças, Igual amor de Mãe, O último Suspiro, Um dia esquecivél e Inesquecivél; entre outras são de minha autoria, “mais estou precisando de uma dica” para deixar um pouco o romantismo e tentar fazer algo mais eletrizante, entrar no mundo de novas aventuras, fantasias, magicas, contos heroticos, ação… Algo que saia do meu mundo!
    Entende?

    1. brunogrunig says:

      Olá Bella. Minha sugestão: leia livros sobre estes assuntos. Um abraço.

  2. Renan says:

    Bruno eu tive uma ideia de um Livro que eu queria ler que ser chama Rangers a ordem dos Arqueiros e a ideia e de fazer uma historia de aventura e fantasia do mesmo sigmento como assim voce deve ser pergunta fazer no mesmo sentindo o meu começou com um jovem de 14 anos sem familia e assim ele que vira um Espadachim e ele vira Espadachim com 14 anos claro ele tem muito treino para isso só preciso de algumas ideias para cidades sobrenome,personagens rivais etc ser voce puder me ajuda ficaria mais grato com isso pro meu primeiro livro ele vai começa amanha as 4:00 da madrugada la que eu tenho boas ideias eo o meu notebook =3

    1. brunogrunig says:

      Olá Renan. Sugiro que você pesquise na internet e procure criar “do zero” os nomes. É muito difícil criar nomes para terceiros. Um abraço.

  3. Filomena de Andrade says:

    Olá! Foi maravilhoso ler o que escreveu. Muito obrigada.

    1. brunogrunig says:

      Olá Filomena. Vale, bom que você gostou. Abraço.

  4. Melissa Maciel says:

    Blog ótimo com várias informações, que me ajudaram muito e que me deram mais vontade de escrever! Mas também queria saber sua opinião: Você acha que uma menina de 12 anos pode escrever um livro? Não precisa vender milhões deles, nem fazer muito sucesso. Só ser um livro bom que algumas pessoas gostem. Desde de agora obrigada.

    1. brunogrunig says:

      Olá Melissa. Pode, você pode escrever. Mas procure sempre a orientação de adultos (seus pais), tanto quanto ao conteúdo como para divulgar o que escreve. Um abraço.

  5. Sarah Hatz says:

    Concordo plenamente com você. Quando apresento um livro novo para os meus colegas, a primeira coisa que eles perguntam é quantas páginas aquele tal livro possui. Se a quantidade é alta, eles nem se interessam mais. Se a quantidade é baixa, têm que ter ilustrações. Como é possível uma pessoa querer ler um coisa tão boa para sua sanidade mental somente com ilustrações e poucas páginas? Para mim, quanto mais páginas e menos ilustrações tiver, melhor o livro.

    1. brunogrunig says:

      Olá Sarah. Pois é… por isso é que quadrinhos são cada vez mais populares no Facebook. Abraço.

  6. Rebeca Rodrigues says:

    Olá meu nome e Rebeca e eu tenho 13 anos.
    Eu sou apaixonada por livros de ficção e adoro criar historias mais meu problema e que eu não consigo chegar no final de nenhum livro. Eu começo o livro chego no meio dele e não tenho mais interesse nele porque me surgem idéias para um novo livro e o tema e sempre o mesmo a história e que muda mais os personagens não e isso me revolta além de que escrever no celular e horrível por causa que ele não corrige corretamente as palavras que eu quero e eu tenho muita dificuldade em questão de pontuação e parágrafos.
    Como posso corrigir isso ?

    1. brunogrunig says:

      Olá Rebeca. Em primeiro lugar, acredite no titio aqui… o tempo vai corrigir muita coisa. Você é muito jovem para estar tão ansiosa assim. Vá com calma. Escrever no celular é uma tortura, pare com isso já. Você vai acabar prejudicando seus olhos e precisando de um oftalmologista. É melhor você usar o celular só para anotar idéias. Escrever mesmo só em casa, no computador, com calma. Você não consegue chegar no final porque não planeja sua história. Veja as dicas do blog e vai entender. Um grande abraço.

  7. Lucas C.F says:

    Olá Bruno, tenho 18 anos e sempre tive a vontade de escrever. Moro em RECIFE, a terra do grande ARIANO SUASSUNA.Como todos os outros comentarios “Puxa sacos” do seu blog, eles estão mais do que certos. Blog muito bom, com artigos claros e diretos. Eu estava escrevendo um livro sobre ZUMBIS, acho que fiz umas vinte paginas. No meu ponto de vista a historia estava boa, mais depois de ler alguns dos seus artigos descobri que aquilo não da nem pro rascunho, ao menos evitou mais trabalho em vão. Não vou desistir, vou recomeçar. Se por acaso meu livro der sucesso, boto seu nome nos meus agredecimentos ahshashhsh. Enfim, vou ficar acompanhando seu blog. Vc poderia escrever uma artigo sobre pontuações(As vezes acho que exagero muito em virgulas, pontos e etc), e sobre o dialogo dos personagens, como fazer e tal. Abraços

    1. brunogrunig says:

      Olá Lucas. Que bom que o blog ajudou. É meio difícil fazer algo sobre pontuações. Eu mesmo creio que cometo “das minhas” neste quesito. Além do mais, cada escritor tem seu estilo. Uma dica: procure não alongar muito as frases, assim você não se perde nas vírgulas. E use também – isso pode ajudar – travessões, como eu acabei de fazer. Também, ao ler algum livro, preste atenção na pontuação. Um livro bem escrito, claro. Porque tem autor por aí (famoso), que não serve nem pra dar aula de português no pré-primário. Abraço.

  8. Paulo Mariano says:

    Olá, queria saber se têm algum problema, no meu livro eu citar personagens como Drácula e entre outros. Eu sei a história do Drácula, mas todos os direitos são reservados á Bram Stoker?

  9. maria says:

    o livro que pretendo escrever e como cuida bem de um ser humano é boa a ideia o que vocês acha meus queridos.

  10. maria says:

    meu nome é maria eugostaria de escrever um livro sobre a vida de uma pessoa e a minha sera que e legal escrever.

    1. brunogrunig says:

      Olá Maria. Meio difícil dizer. Se tiver coisas interessantes na história, conflitos, etc., talvez seja legal. Um abraço.

  11. Nubia says:

    Olá Bruno!
    Gostei muito do post esse com certeza era o empurão que eu precisava.
    Meu maior sonho é escrever um bom livro e que as pessoas aprendam com ele. Li em outro post seu que não podemos ser crús e eu não sou, escrevo fanfic’s e posto elas em um site onde pessoas como eu as leem.
    Aprendi muito com suas dicas. E cara não deixe de escrever!
    Beijos e um abraço.

  12. Luiza Tostes says:

    Texto ótimo. Era o empurrãozinho que eu estava precisando. Muito, muito obrigada.

    1. brunogrunig says:

      Olá Luiza. Beleza, espero que siga em frente. Um abraço.

  13. Wesley says:

    Muito obrigado pelas dicas, Bruno. Fico muito grato por recebe-las, tentarei seguir os itens abordados por você, em breve lhe solicitarei novamente para mais alguns detalhes..
    Abraço.

    1. brunogrunig says:

      Valeu, Wesley. Um grande abraço.

  14. Ildete Medeiros says:

    Muito bom esse artigo, Bruno. Ler é mesmo o melhor remédio. Além de possibilitar viagens encantadoras pelos caminhos mais inusitados (já que cada leitor interpreta do seu jeito), ainda tem a vantagem adicional de desenvolver a capacidade de usar as palavras; nem que seja por ‘osmose’! É verdade! O leitor pode estar tão desatento que o ‘bichinho da leitura’ entra, se instala e ele nem percebe! kkkk Abraços.

  15. João Marcelo says:

    Meses atrás, eu digitei no Google imagens a frase: Como escrever um livro. Imediantamente fui atraído pela figura de um livro azul com os dizeres: Como escrever um livro – Fulano de Tal; nisso, conheci o blog Como Escrever. As dicas são simples e práticas, ao contrário de outros blogs que dão dicas muito vagas e imprecisas. Coloquei o blog na minha barra de ferramentas e sempre que entro na internet tenho que fuçar nele, é de lei. Gosto tanto do seu estilo Bruno, que qualquer assunto que você escrever me atraí. Compraria todos os livros que você lançasse pois, só pelo seu estilio de escrita, sei que vale a pena. Espero que Você nunca desista do Blog. Desculpe o comentário longo mas, eu tinha que fazê-lo. Abraço!

  16. Souphanovong says:

    Raúl Seixas, além de cantor gostava muito de escrever. Mas, para isso, teve que ler muito. Uma vez ele disse: “Meu primeiro brinquedo foi a biblioteca do meu pai, daí o gosto pela palavra e a miopia precoce.” Já li alguns contos dele e o estilo é bem parecido com o seu Bruno. Simples, claro, fácil de entender. A diferença é que ele abusava muito das gírias e das expressões informais. Você já é mais eqilibrado nisso.

    1. brunogrunig says:

      Olá. Raulzão véio de guerra. Pena que abusou de certas substancias… Tinha uma cabeça incomparável. Valeu a lembrança. Abraço.

  17. Lee Yuang says:

    Você falou que existem duas maneiras de escrever. Pra nós mesmo e para o público. Se eu sou um pedreiro, eu não faria um serviço para mim com a mesma perfeição de que faria para outra pessoa. Aproveitando a oportunidade, gostaria de sugerir…na verdade, implorar, se for apropriado que num futuro artigo, você desse dicas de como escrever uma resenha ou resumo de um livro. Desde fico grato.

    1. brunogrunig says:

      Olá Lee. O seu exemplo bateu na trave. Porque o problema aí não seria a perfeição com que o pedreiro faz o trabalho. E sim o estilo. Se ele gosta de uma casa cheia de desníveis e faz assim para um cliente sem perguntar, está tentando “empurrar” o que ele gosta para o cliente. Assim é ao escrever um livro. O escritor pode gostar de escrever sobre centopéias de trinta metros de comprimento. Mas se ninguém gosta, está escrevendo para ele. E por mais perfeita que seja a obra… ninguém vai comprar. Anotado seu pedido… Abraço.

  18. João Paulo says:

    Concordo com a Jane, seu texto é bem realista mesmo. Quando eu era adolescente, minha cabeça era cheia de mitos acerca do ato de escrever. Eu nem sabia que existiam dicas para ajudar a escrever melhor. Pensava que um bom texto/livro dependia mais da criatividade do autor do que qualquer outra coisa.

    1. brunogrunig says:

      Olá João. É quase como compor música. Dez por cento inspiração e noventa por cento trabalho duro. Obrigado pela visita. Abraço.

  19. Jane says:

    Oi Bruno.

    Gostei de seu artigo, bem realista seu artigo. Interessante que quando eu era criança achava quem tinha talento para escrever, sentava e em questão de minutos produzia um texto perfeito sem revisão e nem nada. E que alguns autores demoravam para escrever os livros porque o número de páginas era grande. Coisa de criança. rsrsrs

    1. brunogrunig says:

      Olá Jane. Eu creio que você tem mesmo este talento. Eu também era assim. De bate pronto… nota dez. Só que isso precisa ser desenvolvido, para chegar a escrever algo que o público aceite. Ou seja, não adianta escrever certinho. É preciso aprender a escrever para os outros. Eu ainda estou aprendendo… Um grande abraço.

  20. João Marcelo. says:

    Eu gosto de ler desde criança mas, só consegui completar a leitura de poucos livros. Leio um e perco o interesse ou leio um certo número de páginas e não consigo me lembrar do que li. Eu achava que escrevia bem ams, ao ler as dicas desse blog e de outros lugares vi que tenho que ler mais, e praticar mais a escrita. Me conscientizei que eu não sei de nada.

    1. brunogrunig says:

      Olá João. A conscientização pode levar a dois caminhos: o da desistência ou o da persistência. Eu mesmo, quando tinha lá os meus 25, 30 anos, achava que sabia tudo. Agora… é chato admitir que não sei quase nada. Achar que se sabe tudo é pior, acredite. Porque quando você acha que sabe tudo, não se cala para ouvir. E não pesquisa para saber. Um grande abraço.

  21. [...] do artigo “Escrever livros…” no blog Como [...]